ESCREVER É UM VÍCIO QUE NÃO QUERO CURAR NUNCA.

20 de julho de 2012

SER.

Ando nas ruas escuras
por entre os bêbados e mariposas
sinto-me perdida, transtornada
alucinada no pensar, vago...

Sem rumo, rumo ao nada
meu véu escuro sufoca
a beleza da pele clara
dos lábios trêmulos...

Em meu mundo insone crio,
com minha mente insana levito
nada faz sentindo e tudo sinto
sou a alma solitária que o mundo rejeita.

Não faço parte do real e social
critico o sistema imposto
sou diferente no que penso
produzo meu próprio pensamento.

Banho-me com o brilho da lua
afugento os lobos noturnos
com as minhas verdades e poesias
assim sobrevivo e vivo...

Nenhum comentário:

Postar um comentário