ESCREVER É UM VÍCIO QUE NÃO QUERO CURAR NUNCA.

6 de abril de 2012

Noite insone.

Confesso que chorei nessa noite
quando acordei sem você,
enlouqueci, sofri e tremula despertei.
Quão dura a realidade de nós dois,
você simplesmente usou e descartou,
agora aqui na solidão, vejo o verde das paredes,
sinto o enjoo da dor, a angustia do não saber,
presa ao passado obscuro, de alma vazia
no meio da noite vejo o brilho da lua,
clareando minha face vermelha perdida, sem brilho,
apenas sobrevivendo a falta de mim mesma
desde o dia em que você partiu eu naufraguei
submergi ao escuro manto da solidão,
agora insone estou insana sem rumo...




Nenhum comentário:

Postar um comentário