ESCREVER É UM VÍCIO QUE NÃO QUERO CURAR NUNCA.

11 de outubro de 2011

CALABOUÇO DO SER.


Em meu mundo existe dor
Nada além de músicas fúnebres

Onde estou o agora já passou
Tudo aqui é frio sem calor

Olho as pessoas aqui comigo
São pálidas sem brilho

Tudo que fiz foi ser diferente
Sonhar com o brilho da lua

Mas ninguém entendeu
Pensavam que estava louca

Só me entreguei sem medo
Aos sentimentos verdadeiros

Fugi o normal das coisas mal sentidas
Os normais me sufocaram e me condenaram

Agora sou apenas a nota triste
O verso sem cor do poeta em dor

Fui à poesia da liberdade
Condenada a escuridão sem poemas

Dito a moda de meu ser e sou o ser poeta
 Que livre em meus pensamentos sobrevive

Ao mundo meu lamento triste
Por que não sabem sonhar em versos...

Nenhum comentário:

Postar um comentário