ESCREVER É UM VÍCIO QUE NÃO QUERO CURAR NUNCA.

16 de janeiro de 2011

SALVAÇÃO.

Achei que seu amor me salvaria
Se eu a ele me entregasse
Deixei você entrar na esperança
De não mais chorar, mas estou aqui
Entre lágrimas, não consegui me libertar
Do fantasma de um passado onde o amor
A mim foi negado, agora eu a ele tenho reservas
Sou a menina pequena que escondida tinha medo
Agora a mulher sofrida não sabe amar
Nem sentir-se amada, é uma dor constante
Que nunca da paz ou serenidade
Vêm liberta-me dessa prisão constante
Não desiste de me amar e assim encontrarei
O caminho que chamam de felicidade...

Nenhum comentário:

Postar um comentário