ESCREVER É UM VÍCIO QUE NÃO QUERO CURAR NUNCA.

4 de dezembro de 2010

TUDO MUDOU.

Éramos a noite sem estrelas
neblinas na fria madrugada
nossos versos,  poesias
regados de dor e pranto

Eu o sangue derramado com navalha
você a escuridão da mente num abismo
nosso sorriso foi sufocado pela melancolia
nos olhos só cores opacas sem brilho

Os nossos sons sinfonias funestas
que marcavam  o triste amanhecer
loucos para novamente a noite acolher
e em devaneios sobreviver mais um pouco...

Mas nosso encontro aconteceu e trouxe luz,
das trevas os sonhos surgiram e coloridos ficaram
as noites estreladas e enluaradas, só para nós nos amarmos
da agonia ao prazer e tudo mudou ao te conhecer...


Você me chamou de longe com sua dor
eu respondi com meu coração em prantos
nos unimos e fundimos nossos sentimentos
em versos de loucura e ardor, agora nós somos o próprio amor..




Nenhum comentário:

Postar um comentário