ESCREVER É UM VÍCIO QUE NÃO QUERO CURAR NUNCA.

18 de dezembro de 2010

Sangrando.

Transparece meu ser
dentro de tua lama
leve e forte ao mesmo tempo
gotas de cristas de meus olhos caem
jorrando aguas de amor
do peito sofrido em dor
letras de notas falsas
que um dia você  compos
e eu acreditei e cantei
agora sinto a orquestra
tão longe de mim
num mundo perdido
onde o elo se rompeu
sangrou a veia rubro 
cravou o punhal no peito
fiquei sem rumo tonta
passei a vagar na terra
perdida  e vestida de negro
dediquei-me a valsar...



Nenhum comentário:

Postar um comentário