ESCREVER É UM VÍCIO QUE NÃO QUERO CURAR NUNCA.

8 de novembro de 2010

POESIAS ESPECIAIS.

 POEMA DE EMILY DICKINSON.
UMA MULHER QUE DEIXOU MUITAS PERGUNTAS NO AR, UMA VERDADEIRA INCÓGNITA.


Morri pela Beleza
Morri pela Beleza - mas mal me tinha
Acomodado à Campa
Quando Alguém que morreu pela Verdade,
Da Casa do lado -

Perguntou baixinho "Por que morreste?"
"Pela Beleza", respondi -
"E eu - pela Verdade - Ambas são iguais -
E nós também, somos Irmãos", disse Ele -

E assim, como parentes próximos, uma Noite -
Falámos de uma Casa para outra -
Até que o Musgo nos chegou aos lábios -
E cobriu - os nossos nomes -

Emily Dickinson, in "Poemas e Cartas"
Tradução de Nuno Júdice















Nenhum comentário:

Postar um comentário