ESCREVER É UM VÍCIO QUE NÃO QUERO CURAR NUNCA.

27 de novembro de 2010

PERDIDA.

Custo a saber quem sou nesse momento
estou perdida entre as cores escuras
e névoas de meu ser envolto, sem pauta
estou distante de mim mesma e meus pensamentos.

Meu corpo cansado e alma sufocada
desistem de me encontrar nesse contexto
quem sou afinal no grande palco desse horror
onde as descobertas são apenas momentos

Meus sonhos deixaram de ser reais
passaram a ser pesadelos noturnos
ofuscados por uma lente sem brilho
dos pensamentos que se foram

Estou entorpecendo meus sentidos
nessa busca maldita do agora
saber quem sou é real, diante da falsa realidade
do mundo em minha volta, sem cor e brilho

Sobrevivo do meu passado inóspito
onde só habitam as más recordações
de tudo que não aconteceu e maltratou
o coração traiçoeiro e sensível ao amar

Meus fantasmas afastaram meus desejos
sufocaram os sonhos coloridos
agora fico sem saber quem sou
para onde vou e nessa busca continuo

Perdida na alma deito em minha alcova
outrora com corpos unidos e sonhadores
agora solitária e distante da liberdade
entorpeço meus pensamentos e os deixo calados

Vou sem rumo a um porto qualquer
talvez me encontre num mar revolto
de ondas profundas desse meu ser
e descubra quem sou nesse contexto...



Nenhum comentário:

Postar um comentário