ESCREVER É UM VÍCIO QUE NÃO QUERO CURAR NUNCA.

14 de novembro de 2010

DEVANEIOS.

Um arrepio em minha nuca
Um vento que passou
Sinto suas assas me tocarem
Meu corpo reage com fervor
Lágrimas surgem em meu rosto
Num sentimento completo
De amor eterno e paixão
Um anjo me toca a pele
Um amor imortal, preso em nós
Que de tempos em tempos
Reencontramos-nos na alma
De mortais sofredores, numa entrega
Total dessa loucura que nos envolve
Fico perdida nas carícias desse anjo
Amarrada em seus braços
Deixo a tola razão de lado
Sinto sem tentar explicar
Já nem sei mais o que é real
Vencida pelo meu desejo
Envolvida por suas carícias
Presa nesse momento
Toda sua força me inundando
Saiba que nesse momento
Sou novamente completa
Quando suas asas me acariciam 










Um comentário:

  1. Oi Mari, adorei a tua forma de escrever. Cheia de sentimento, sonhos e beleza..

    (te seguindo)

    ResponderExcluir