ESCREVER É UM VÍCIO QUE NÃO QUERO CURAR NUNCA.

14 de outubro de 2010

Sem Rumo.

  O sol raiava, colocou seu  vestido
saiu para vida em estampas coloridas.
 Andou nas ondas do mar, sob pedras pisou..
 Deixou o negro da alma, coberta de cinzas,
deu uma chance para si mesma e para o amor
com flores e o perfume via alegria, mas
sensação de euforia ali permanecia, suas emoções
sempre lhe traiam, como uma gangorra subiam
e desciam e nesse vai e vem ela sempre se perdia
de si mesma e de todos,como as ondas em seus pés.
Agora ali em passos flutuantes passava por
entre as pessoas, que aos seus olhos pareciam
felizes com suas vidas e estórias e somente ela
naquele momento tentava em vão encontrar o equilibro...
Como um equilibrista da vida continuava sua
trajetória no belo domingo de sol e risos soltos
no ar...
Chegaria o momento de se encontrar
e reencontrar o amor que há muito se foi...
Mas agora andava sem rumo, no caminho das flores...
  ANGELA SOUZA.

Nenhum comentário:

Postar um comentário