ESCREVER É UM VÍCIO QUE NÃO QUERO CURAR NUNCA.

16 de outubro de 2010

Poema de Ricardo Vichinsky



  Sedução de Víbora.

Como a sedução
Da vibora
Sonhos e
Pesadelos
Flor formosa
Envolve-me
Com o dourado
De teus cabelos
Pele sedosa
Cheirosa
Atados a multiplos
Desejos
Enrroscado
A tua carne
Seios
E na fluidez
De pensamentos
Impuros, profanos
Sangue
Flamejante
Na carne da
Sacerdotiza
Trêmulas águas
Estranhamente
Purificadas
Pelo  veneno
Da vibora
Desejo esse
Que deve ser morto
Por essa mesma peçonha



Nenhum comentário:

Postar um comentário