ESCREVER É UM VÍCIO QUE NÃO QUERO CURAR NUNCA.

25 de outubro de 2010

Minha Dor, Sua Queda.

Suas palavras são como espinhos
em minha carne tão frágil,
um abandono total nesse momento
meus versos tornaram-se sombras
angustiadas da dor cravada
em meu peito, que agora canta
a mais triste melodia de amor
em dueto com meu coração
as emoções se perderam
minha boca se fechou em silêncio
diante da frieza com que me presenteaste.
Poderoso ser que maltrata minha alma
te achas no topo do mundo maldito
e solitário de tua vida  em descompasso
corta-me com tua navalha e sangra
meus sentimentos de forma egoísta
até chegar a hora triunfal da  tua própria dor
onde ficarei observando teu cair
cruzando meus braços irei rir
e com minhas feridas curadas
cortarei seu rosto completamente
de meu espelho e voltarei a sentir....

Um comentário: