ESCREVER É UM VÍCIO QUE NÃO QUERO CURAR NUNCA.

8 de outubro de 2010

Mariposas.

Coloquei minha mascara
tão negra quanto eu
disfarcei minha vida
e cheguei até o limite
o vestido escuro
mostrava minha alma
repleta de sonhos perdidos
revesti a noite em mim
entreguei-me ao esmo
senti emoções surgirem
a lua nasceu e a noite avançou
mariposas surgiram
de dentro de mim
um luxo total de dor sem fim
voltei ao prazer e de mim
me afastei, nessa noite de prata
ao mundo me doei...
 ANGELA SOUZA.




2 comentários:

  1. Olá...Boa noite! Alma rasgada, poema tirado do fundo. Seu blog está intenso e lindo! Beijos em ti, doce Amiga Anja.

    ResponderExcluir
  2. Muito linda e tive oportunidade de te ouvir declamando,ficou DEZ!beijos,tudo de bom,chica e adorei te conhecer!

    ResponderExcluir