ESCREVER É UM VÍCIO QUE NÃO QUERO CURAR NUNCA.

26 de setembro de 2010

Tristeza.

A taça transborda
com lágrimas quentes
oferecidas ao desamor
gotas escorrem...

Não haverá final feliz
nesse conto de dor
eu não tô nem aí mais
sem vergonha de sofrer...

Todo amanhecer é sofrido
selvagem sentimento
que devasta meu ser
como sangue amargo

Não tenho medo
da escuridão da alma
que não sabe mais sorrir
petrificada em si...

São noites sem luar
dias nublados e frios
outonos escuro sem folhas
em um manto triste de solidão...

Nenhum comentário:

Postar um comentário