ESCREVER É UM VÍCIO QUE NÃO QUERO CURAR NUNCA.

12 de setembro de 2010

Sinfonia funebre.

Melancolia funesta
me invade a alma
corrompe meu ser
esmaga meu coração.

Derrete minhas emoções,
como a noite sem luar,
com a orquestra gótica
a tocar melodias de dor.

Debochas de meu ser
por sangrar minhas veias
em sacrifício desse amor
para seu bel prazer.

Como um anjo negro
em densas nuvens
não sinto gozo nem dor
apenas vou no vento...

Com sangue eterno
em minhas asas
me calo, fico muda
dentro de mim mesma.





Nenhum comentário:

Postar um comentário