ESCREVER É UM VÍCIO QUE NÃO QUERO CURAR NUNCA.

24 de setembro de 2010

Sem saber...

Em caminhos tortuosos confusos
os passos vão aumentando angustiosamente,
em chamas ardentes,olhos sombrios,
na estrada sem luzes, do negro véu
seu corpo entregue ao nada,
na calçada vazia ampara a solidão
adormecido nos braços da dor,
um fantasma de coração mau
mesmo com asas brancas para disfarçar
tentando iludir, as sombras da tentação
estão aqui pra atormenta-lo
não conseguem mudar um coração
perverso envolto na magia dominante,
asas negras rodeiam sem pena,
desespero total na vontade de nascer
que dominou e deixou lágrimas sem sol
borrando a maquilagem da cena anterior.
Depressivo animal que motiva esse mau
num transtorno de emoções altos e baixos,
dominante sem beleza, dentro do frio
da alma em desespero como suportar tal mal?
Anjo negro briga por essa alma sensível
numa tempestade nos céus, cercado por meros seres
evolui na batalha, monstro de unhas pintadas
e sorriso esnobe de alguém sem amor,
transtorno de um ser, arrepiando e amedrontado
nem sabe como caminhará amanhã...

Nenhum comentário:

Postar um comentário