ESCREVER É UM VÍCIO QUE NÃO QUERO CURAR NUNCA.

9 de setembro de 2010

Reconcilhação

Reatei os laços perdidos
apertei em meu peito,
perdoei quem se perdeu,
os laços da paixão deixei,
aqueci seu pulsar levemente,
dediquei-lhe um coração gigante
as finas gotas caíram ao chão,
retirei o peso de mim mesma,
juntei as pedras negras.
Plantei o luar brilhando em
seus olhos intensos amarelados
pelo tempo passado,
foi assim que o senti,
gotejando em aguas revoltas
amansei o urso da dor
gigante devastador
que o aprisionou...
Sereno voltou,
o anjo perdido...
liberto ficou...

Um comentário: