ESCREVER É UM VÍCIO QUE NÃO QUERO CURAR NUNCA.

6 de setembro de 2010

Mulher.

O casulo cresceu
a borboleta nasceu
meu ser floresceu
uma mulher apareceu

Branca como a neve
cabelos cor do sol
olhos de avelã
perfume de jasmim

sentidos em vestidos
com cores de arco íris
sorriso de menina
força no querer

Alice encantada
em sonhos coloridos
no país do amor
maravilhas já vividas.

Ofertando sua vida
alegria já parida
no encontro da beleza
lágrimas felizes.

Aguarelas estampadas
saltitando na primavera
colhendo amizades
em forma de flor.

Na música de personalidade
em uma quimera de paixão
amadureceu em notas
no concerto de algodão...

Encontro de respeito
com a mulher que nasceu
seus desejos obedece
liberdade conquistada...

Do casulo já saiu
a borboleta coloriu
voou longe e partiu
a beleza imergiu...

Nenhum comentário:

Postar um comentário