ESCREVER É UM VÍCIO QUE NÃO QUERO CURAR NUNCA.

19 de setembro de 2010

Meu espelho.

Olhei no espelho
e vi uma estranha
não reconheci o sorriso,
amarelado de dor...

Olhei novamente
e mais confusa fiquei
diante dessa estranha,
uma criatura das trevas...

As marcas deixadas
na face sombria,
angustia anuncia,
denunciando falta de beleza...

Como uma noiva de negro
com o vento forte
balançando o vestido
as unhas carmim desbotadas...

Olhei novamente
aquela criatura
desfigurada, sem cor
com olhos da morte...

Sem acreditar, fiquei
paralisada, com medo
daquela figura estranha
que tomou meu lugar, no espelho...

Tentei entender
voltei a olhar,
a incógnita ficou
a final quem sou???




Nenhum comentário:

Postar um comentário