ESCREVER É UM VÍCIO QUE NÃO QUERO CURAR NUNCA.

3 de setembro de 2010

Liberto o amor.

Menti quando mandei você embora
quando pedi que partisse...
Sou uma grande mentirosa
pois te amo de verdade
mas minha alma adoecida
vive a instabilidade
a demência dos seres alucinados
agora chamo e você não vem...
Não queria te fazer sofrer
sendo hoje um brilho e amanhã noite,
mereço que você não venha...
Difícil é entender o que sou,
quando o raio abre meu ser,
sou a alegria que nasceu,
mas quando a noite se apodera dele,
nuvens negras de tristezas...
Amor querido, vai pois não sei
a beleza de amar a arte de se deixar
ser amada...
Sofro e o tempo me deixará saber
que o melhor foi te libertar
das garras desse amor doentio
Por te amor te deixei, só os loucos
entendem como eu, intensamente...
Liberto o que amo, por tentar ser melhor...

Nenhum comentário:

Postar um comentário