ESCREVER É UM VÍCIO QUE NÃO QUERO CURAR NUNCA.

12 de setembro de 2010

Fábio Motta.

Menino de olhos castanhos
sensibilidade da alma
amor perdido te dói
choras como criança
corrói, machuca...
Brindas a vida,
não te perde nesse amor
procura encontrar teu brilho
ventilas sentimentos
no ultimo adeus
quebrando o silêncio
com gotas de amor e dor
com crise mental
depois de tudo
o renascer do amor
fez trinta e um
diante dos olhos...
Grande em versos
eis a questão
não tem explicação
amor que é amor
em pedaços de mim
não tenho tempo a perder...
Vai bem alto poeta querido,
em sonhos viva e ame,
Resgata teu ser,
que teu amor vai novamente nascer...

Nenhum comentário:

Postar um comentário