ESCREVER É UM VÍCIO QUE NÃO QUERO CURAR NUNCA.

21 de setembro de 2010

Desejo.

Não posso extinguir o desejo
que me toma agora, pensando
nas carícias ofertadas,
meu sangue escorre forte nas veias
latejando em todo o meu ser,
num fluido de amor,
sinto o cheiro do prazer,
perfume dos lírios campestres.
Tomo o vinho dos teus lábios
que escorrem em minha boca
louco desejo de saciar-me
em teu corpo molhado de suor.
Otelo de meus sonhos, desejo de minha alma,
volúpia de meu ser, vem me amar com todo
esse querer...
Desejo completo de te ter...

Nenhum comentário:

Postar um comentário