ESCREVER É UM VÍCIO QUE NÃO QUERO CURAR NUNCA.

8 de setembro de 2010

Dama

Sou uma dama
sem classe
nem berço,
vomito pensamentos
em palavras mal escritas
num versejar sem regras
de idéias corrompidas,
senhora do meu tempo.
Inimiga das horas,
visito meu interior
encontro a mim mesma
deliciando-me com
as unhas encravadas
na tua pele macia
na fusão de dois corpos...
Sou uma dama, afinal
sei andar de salto alto,
perfumada e maquiada,
uso a mascara de lady,
meu cabelo em revolta
colorido de azul
sou uma dama afinal...







Um comentário: