ESCREVER É UM VÍCIO QUE NÃO QUERO CURAR NUNCA.

29 de agosto de 2010

Menina.

Na praça crianças brincado
na inocência do algodão doce
pulam e cantam, maças do amor,
nada sabem da vida e tudo querem,
impacientes, alçam voou na longa
estrada da vida...
Anos dourados que vão no tempo ficar,
assim como ficaram as bolinhas de gude,
a cabra cega e o esconde esconde...
Da minha infância querida, em tempos
que não voltam, saudades da menina,
lá do tempo passado, que da dor, nada sabia
e tudo esperava,agora crescida, deixou de
esperar, tenta acreditar...
Luta para a menina, de um todo não partir,
e a criança que restou continuar a brincar...
Na praça da vida, alegria encontrar...

Nenhum comentário:

Postar um comentário