ESCREVER É UM VÍCIO QUE NÃO QUERO CURAR NUNCA.

23 de agosto de 2010

Díonisio

Dionísio ofertou-me o vinho do amor,
como Ariadne aceitei embriagar-me,
em busca do meu querer, abandonada por
Teseu que me deixou na paixão enlouquecida...
Busco pelo amor ofertado por Afrodite em
forma imortal de um homem com versos
e prosas, que não me deixa partir...
Partir desejo e não consigo, meus versos
consomem meu ser, em enlouquecidos versejar
sou uma louca que não desejo ter sanidade
dói muito ser normal. Vem Díoniso ama-me
no desejo de Afrodite, embriaga-me com o vinho
do teu ser, deixa-me aturdida nesse querer...
Díonisio enfim chegou...

Nenhum comentário:

Postar um comentário