ESCREVER É UM VÍCIO QUE NÃO QUERO CURAR NUNCA.

25 de julho de 2010

As Horas.

As horas que não alcanço
vão sumindo de minha vista
nelas sonhos e ilusões
rugas vão surgindo e minhas
mãos estremecidas já não conseguem mais
pegar na pena e escrever
a memória já me falha
minhas vistas enfraquecidas
meu corpo fragilizado
já não se aquecem tão rápido
sinto o frio da fragilidade
da saudade do que ficou.
As horas passam rápido
vejo tudo passando
como um filme de Chaplin
e notas musicais rápidas
descompasso,tristeza,
talvez,se não fosse
ter ao meu lado meu eterno
e verdadeiro amor.
As horas passam,a velhice chegou
mas você aqui comigo ficou...

Nenhum comentário:

Postar um comentário